PASTORAL VOCACIONAL


 

Coordenador
Geovanny Carmona Lopez

     "Vinde e Vede”

Vocação é obra de amor de Deus. As pessoas chamadas são dons que Deus concede à sua Igreja e à humanidade. A vocação é um sinal do amor de Deus para toda a humanidade. Devemos nos sentir pessoas chamadas por Deus porque Ele nos ama e ama a todos indistintamente.

Deus chama a todos indistintamente! Todos têm vocação, mas o sujeito da vocação, quem escolhe e chama, sempre é Deus. É Ele quem sempre toma a iniciativa.

A vocação é uma missão conferida por Deus. Não é casualmente, capricho, mérito, privilégio... A vocação é “minha”, mas não é para mim, é para a Igreja e para o mundo.

A missão surge de uma necessidade. Não havendo a necessidade, não há por que existir a missão (cf Gn 2,5 – Qual a necessidade? Qual a Vocação? Pode ser realizada só por uma pessoa?). Limpamos a casa quando está suja... Não estando suja, não há necessidade de limpá-la. Necessidades clamam por vocações e as vocações clamam por ministérios, isto é, vocações organizadas e articuladas com outras vocações. Uma vocação precisa das outras vocações. Toda vocação está a serviço da comunhão na Igreja.

Deus chama através de mediações (acontecimentos, fatos, pessoas...). Cabe a cada pessoa vocacionada entender com sabedoria as mediações e também ir além delas.

O chamado à existência, à vida humana, é nossa primeira vocação. Trata-se não apenas de ordem cronológica, mas de fundamento de todas as outras vocações, inclusive a de ser cristão.

A vocação expressa a vontade de Deus. A vontade de Deus é vida e felicidade para mim e também para o próximo (cf Jo 10,10). Ser padre, irmão (ã), pai, mãe... está em sintonia com este princípio? Se não está, não é vocação.

Não se promove vocações porque faltam ou porque estão em crise, mas porque Deus as escolhe, Jesus as chama e o Espírito Santo as envia.

Não se trata do que eu quero que alguém seja, mas do que Deus quer que cada ser humano seja.

O serviço de Animação Vocacional é para trabalhar a dimensão vocacional da Igreja. O trabalho da Pastoral Vocacional é
Despertar, Discernir, Cultivar e Acompanhar o projeto de Deus para cada pessoa. A vocação é iniciativa de Deus, mas seu despertar, normalmente, passa pela mediação humana.

A Pastoral Vocacional trabalha as pessoas para que seus dons se transformem em Carismas e Ministérios. É preciso conhecer os dons que a pessoa tem e chamá-la para colocá-los a serviço dos outros (transformar o dom que se tem num sinal da graça de Deus).

Nos dons que recebemos, Deus revela nossa missão, nossa vocação.

O chamado deve ser feito em nome da Igreja, não em seu próprio nome. Assim, quem chama deve estar em sintonia com a Igreja. O chamado também é feito para a Igreja e não para si mesmo. A pastoral Vocacional deve ajudar o vocacionado a ir além do mediador de um chamado que vem de Deus.

A Igreja recebeu de Deus o direito e o dever de chamar e propor as vocações consagradas: não para impor carismas e ministérios, mas para revelar o projeto de Deus inscrito no coração do homem.

A Igreja tem imensa necessidade de sacerdotes. É esta uma das urgências mais graves que interpelam as comunidades cristãs. Jesus não quis uma Igreja sem sacerdotes, Se faltam os sacerdotes, falta Jesus no mundo, falta a sua Eucaristia, falta o seu perdão.

Sede uma comunidade viva que promove vocações.

Sede uma comunidade orante que reza pelas vocações.

Sede uma comunidade que chama que busca vocações.

Uma comunidade sem vocações é como uma família sem filhos.


Fonte: livro Orientações para Animação Vocacional - Formação 1 – 3ª edição.

 

 © Copyright 2009 - Paróquia São José Operário - Av. Buritís Qd. 603 Lt. 23 - Recanto das Emas-DF - Telefone: (61) 3404-1579 
    Todos os direitos reservado

 

  Site Map